Navalny recorre de ação que o excluiu das eleições na Rússia

Comissão Eleitoral Central (CEC) russa vetou a participação do líder da oposição nas eleições presidenciais do próximo mês de março

Moscou – O líder da oposição russa, Alexei Navalny, recorreu nesta quarta-feira da decisão do Tribunal Supremo da Rússia que respalda o veto da Comissão Eleitoral Central (CEC) à sua participação nas eleições presidenciais do próximo mês de março.

No último dia 30 de dezembro o Supremo russo rejeitou a ação apresentada por Navalny contra a decisão da CEC, alegando que “não vê motivos para satisfazê-la”.

“Recorremos (da decisão), a data da audiência (da apelação) ainda não foi fixada”, disse o advogado do opositor, Ivan Zhdanov, a meios de comunicação russos.

Anteriormente, a equipe legal de Navalny antecipou que seguiria lutando pela revisão do veto perante todas as instâncias judiciais até chegar ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

Segundo a CEC, Navalny não pode participar nas eleições presidenciais de março de 2018, uma vez que foi sentenciado em fevereiro do ano passado a cinco anos de prisão por apropriação indevida, inabilitação que estará em vigor por um prazo de dez anos.

A decisão de rejeitar a candidatura do líder opositor foi condenada pela União Europeia e pelos Estados Unidos, críticas que a chancelaria russa considerou hoje “uma ingerência direta” nos assuntos internos da Rússia.

Navalny, que acusa o presidente russo, Vladimir Putin, de ordenar sua inabilitação, convocou para o dia 28 de janeiro uma jornada de protestos a favor de uma “greve de eleitores” nos pleitos presidenciais.