Naufrágios deixam 47 turistas chineses desaparecidos na Tailândia

No últimos dias, dois naufrágios aconteceram na Tailândia: uma na ilha de Hae e outro ilha de Mai Tom, os dois próximos de Phuket

Pequim – Um total de 47 cidadãos chineses continuam desaparecidos como consequência dos naufrágios de duas embarcações turísticas ocorridas na quinta-feira nas águas do destino turístico de Phuket, na Tailândia, anunciou hoje o Ministério de Exteriores da China.

Um total de 127 dos ocupantes eram chineses, dos quais dois morreram, 78 foram resgatados e 47 continuam desaparecidos, detalhou Lu Kang, porta-voz de Exteriores, durante entrevista coletiva.

Lu acrescentou que os acidentes ocorridos ontem “ainda estão sendo esclarecidos e que se continua atualizando o número de vítimas”.

As autoridades chinesas ativaram um protocolo de emergência, criaram uma linha telefônica para informações e enviaram para a região uma equipe de especialistas de várias agências oficiais para cooperar com as autoridades e ajudar as vítimas, acrescentou o porta-voz.

Lu destacou o grande esforço que estão fazendo as equipes de resgate tailandesas na busca dos desaparecidos, assim como que os feridos estão sendo atendidos em hospitais da região.

Um dos barcos naufragados é o Phoenix PD Diving, uma embarcação dedicada a mergulho que levava 105 pessoas a bordo, das quais 48 foram resgatadas, uma foi achada morta e outras 56 estão desaparecidas.

O Phoenix PD Diving afundou perto da ilha de Hae, situada a cerca de 10 quilômetros ao sul de Phuket.

O outro naufrágio aconteceu nas águas da ilha de Mai Tom, a sudeste de Phuket, e corresponde ao iate Sereneta com 42 pessoas a bordo, das quais 40 foram resgatadas e outras duas estão desaparecidas.