Naufrágio na ilha de Phuket deixa 37 mortos e 18 desaparecidos

A barca "Phoenix" naufragou nesta quinta (5) com 105 pessoas a bordo, muitas delas turistas chineses, em meio a uma tempestade

Os corpos de 37 pessoas foram resgatados e dezenas de turistas continuavam desaparecidos após o naufrágio de uma embarcação na ilha de Phuket, sul da Tailândia.

O centro de resgate da província de Phuket informou que 37 corpos foram retirados da água e 18 pessoas continuam desaparecidas.

A barca “Phoenix” naufragou na quinta-feira com 105 pessoas a bordo, principalmente turistas chineses, em meio a uma tempestade que provocou ondas de até 5 metros.

Vários mergulhadores conseguiram chegar nesta sexta-feira à barca e afirmaram ter visto mais de 10 corpos na embarcação, informaram fontes da Marinha tailandesas.

As ambulâncias aguardavam em Phuket para receber mais corpos.

“Concentramos a busca nos desaparecidos do Phoenix. Tememos que alguns tenham ficado presos no barco, mas espero que alguns possam sobreviver”, afirmou o governador de Phuket, Noraphat Plodthong.

“Fazemos buscas áreas e enviamos mergulhadores para examinar o interior do Phoenix. Não sei quantos podem ter sobrevivido”, completou Plodthong.

Os helicópteros sobrevoavam o local do acidente, enquanto os mergulhadores se aproximavam da barca, a uma profundidade de 40 metros no mar de Andaman, a alguns quilômetros da costa de Koh He, uma pequena ilha conhecida pelas formações coral e um destino popular de excursões.

Um representante do consulado da China está no local para ajudar na coordenação do resgate.

O “Phoenix” retornava para Koh Racha, outro local muito frequentado pelos turistas, especialmente praticantes de mergulho.

Quarenta e oito pessoas, entre passageiros e tripulantes, foram resgatados. O primeiro cadáver de um dos passageiros – que as autoridades acreditam ser um turista chinês – foi retirado do mar na quinta-feira à noite.

Uma sobrevivente chinesa, encontrada a vários quilômetros do local do naufrágio depois de passar a noite na água, foi hospitalizada. Ainda não se sabe qual seu estado de saúde.

“O céu estava limpo quando partimos. Não imaginávamos que o tempo podia mudar tão rápido”, comentou Wu Jun, de 28 anos, que se encontrava no hpsital onde foi internada sua esposa, Long Hai Ning. O casal, que estava em lua de mel, está longe um do outro no barco, mas conseguiu sobreviver.

Muitos sobreviventes foram levados para um prédio de Phuket. Vários permanecem em estado de choque, alguns choram e outros caminham ainda com os coletes salva-vidas no corpo.

“Não estou certo de quantas pessoas podem ter sobrevivido”, declarou aos jornalistas o governador de Phuket, Noraphat Plodthong.

O governo tailandês abriu uma investigação sobre o motivo da viagem, apesar do alerta sobre o tempo.

As autoridades da ilha emitiram na quarta-feira um alerta de tempestade.

Apesar das advertências, outras embarcações enfrentaram as más condições meteorológicas na quinta-feira na mesma região.

Phuket atrai numerosos visitantes estrangeiros, entre eles ocidentais e chineses, que constituem o grosso das 35 milhões de pessoas que devem visitar a Tailândia este ano. No total, 9,8 milhões de turistas chineses visitaram a Tailândia no ano passado.

O país também recebe a atenção da imprensa internacional pelo caso dos 12 meninos e seu treinador de futebol presos há quase duas semanas em uma caverna inundada do norte do país.