Naufrágio na fronteira com a Bolívia deixa dois mortos

Acidente foi registrado na terça-feira nas imediações de Forte Coimbra, em Corumbá, na fronteira entre Brasil e Bolívia

La Paz – Duas pessoas morreram, entre elas uma jornalista, em um naufrágio de uma embarcação militar em um rio no leste da Bolívia, na fronteira com o Brasil, informou nesta quarta-feira o ministro boliviano da Defesa, Rubén Saavedra.

“Lamentamos a perda de duas vidas, de um cadete de sobrenome Quispe e da jornalista Liliam Ortega”, afirmou o ministro da Defesa, em uma coletiva de imprensa.

O Ministério de Defesa confirmou em um comunicado que “foram encontrados os corpos do subrigadier Jesús Rubén Quispe Churata e da jornalista Liliam Edme Ortega Soto, vítimas do lamentável acidente”.

O acidente foi registrado na terça-feira nas imediações de Forte Coimbra, em Corumbá, na fronteira entre Brasil e Bolívia.

O ministro Saavedra explicou que “foram iniciadas as primeiras perícias para determinar as causas do naufrágio”.

Segundo imagens de canais de tv, a pequena embarcação militar afundou e não há informações sobre feridos.

Antes de embarcar, a jornalista Ortega, do canal privado de televisão RTP, disse em sua conta pessoal no Facebook que estava “em uma travessia histórica para a Bolívia em direção a Assunção, no Paraguai, com a Marinha boliviana”.

“Obrigada, meu Deus, cuide bem dos meus e de todos nós que estamos nestas embarcações”, escreveu.