Naufrágio deixa três bebês mortos e mais de 100 desaparecidos na Líbia

O naufrágio aconteceu a seis quilômetros da costa da Líbia e dos 120 imigrantes a bordo, apenas 16 foram resgatados

Trípoli – Cerca de 100 pessoas desapareceram em águas do Mediterrâneo no naufrágio de um bote inflável com o qual tentavam de viajar à Europa partindo da Líbia, informou nesta sexta-feira à Agência Efe a Guarda Costeira local.

Segundo a fonte, o naufrágio aconteceu ontem à noite a 25 milhas náuticas da cidade de Qarabuli, local de partida da embarcação, aparentemente por causa de um incêndio que começou após uma falha do motor.

“No bote viajavam umas 120 pessoas. A maioria de nacionalidade subsaariana, mas também marroquinos e iemenitas. Até o momento foram recuperados os corpos de três bebês”, indicou a Guarda Costeira da Líbia.

“Outras 16 pessoas foram resgatadas com vida. Todas elas são homens jovens que foram levados a um centro de detenção na região de Al Hamdiya”, 25 quilômetros ao leste de Trípoli, onde são tratados de diversos ferimentos.

Na embarcação precária também viajavam outros dois bebês e três crianças menores de 12 anos, além de 12 mulheres, afirmou a fonte, que citou o relato dos resgatados.

As praias que se estendem entre Trípoli e a fronteira com a Tunísia se transformaram nos últimos dois anos no principal reduto das máfias do tráfico de pessoas, apesar da presença de patrulhas europeias.

Segundo dados da Organização Internacional de Migração, mais de 171.635 imigrantes irregulares conseguiram atravessar o Mediterrâneo até a Europa no ano passado, enquanto 3.116 desapareceram no mar.

A mesma organização, vinculada à ONU, afirma que ao longo de 2018 outras 16.394 pessoas conseguiram atravessar só pela chamada “rota central”, que parte da Líbia, e 635 morreram afogadas.

Nesta semana, patrulhas líbias interceptaram cerca de 1.200 migrantes na costa oeste do país.