Não haverá maconha legalizada suficiente para atender demanda no Canadá

A oferta de maconha chegará a cerca de 210 toneladas no 1º ano após a legalização da maconha no Canadá, mas a demanda será de cerca de 610 toneladas

A oferta de maconha legalizada no Canadá atenderá apenas de 30 por cento a 60 por cento da demanda após a legalização, o que manterá o mercado paralelo bastante vivo e reduzirá a arrecadação fiscal do governo, segundo um novo estudo.

A oferta de maconha chegará a cerca de 210 toneladas no primeiro ano após a legalização da maconha no Canadá, neste mês, segundo um estudo que será divulgado na semana que vem por pesquisadores da Universidade de Waterloo e do C.D. Howe Institute. A demanda, por sua vez, será de cerca de 610 toneladas.

“Não haverá oferta suficiente de maconha legalizada, especialmente durante o primeiro semestre do ano após a legalização, principalmente devido ao baixo ritmo de licenciamento dos produtores”, disse Anindya Sen, da Universidade de Waterloo, e Rosalie Wyonch, do C.D. Howe, que tem sede em Toronto, no relatório.

Os produtores de maconha vêm tendo dificuldades para ampliar a oferta devido à lenta implementação de regulamentos dos governos provinciais que coordenarão as vendas do varejo após a legalização do consumo recreativo da maconha, em 17 de outubro. Os canadenses, ao mesmo tempo, podem não se desfazer tão rapidamente de seus fornecedores ilegais em meio à venda já desenfreada pela internet.

Alertando que estimativas de oferta são difíceis, os pesquisadores usaram informações do mercado médico oriundas da agência de saúde do Canadá, incluindo produção, estoque e vendas, além de estimativas sobre os períodos de crescimento, licenciamento e capacidade para projetar a oferta de maconha recreativa. No caso da demanda, os analistas incorporaram estimativas do governo federal e levaram em conta as experiências dos estados americanos de Washington e Colorado, onde a maconha está legalizada.

Usando um preço de 9 dólares canadenses (US$ 6,96) por grama, perto do preço-alvo do governo federal, de 10 dólares canadenses, os governos perderiam cerca de 774 milhões de dólares canadenses em receita com impostos sobre a fabricação e a venda, além de taxas provinciais, devido ao déficit de oferta, calcularam os pesquisadores. No orçamento do ano passado, o governo federal estimou que levantaria cerca de 220 milhões de dólares canadenses por ano até 2022-2023 com a cobrança de impostos sobre a maconha legalizada.

Para estimular a oferta de maconha legalizada, a Health Canada pode simplificar ainda mais os processos de inscrição e aprovação para licenças de produção e vendas e acelerar a legalização de produtos comestíveis à base de maconha e outros derivados para tirar clientes do mercado paralelo, sugerem os autores.