Nacionalidade alemã será facilitada para vítimas do nazismo

Alemanha publicou dois decretos que facilitam o processo, principalmente para atender demandas britânicas após votação a favor do Brexit em 2016

O governo de Angela Merkel facilitará a partir desta sexta-feira, 30, a obtenção da nacionalidade alemã para os descendentes das vítimas do nazismo que tiveram que fugir do país devido às perseguições do Terceiro Reich.

O Ministério do Interior alemão publicou dois decretos que facilitam esse processo, especialmente para lidar com o aumento acentuado das demandas britânicas após a votação a favor do Brexit em 2016.

“Isso se aplica principalmente a pessoas cujos pais ou avós tiveram que fugir para o exterior”, disse o ministro do Interior, Horst Seehofer, para quem a Alemanha deve “assumir suas responsabilidades históricas”.

A Alemanha já tinha legislação que favorecia a obtenção de nacionalidade para judeus estrangeiros.

Agora, pessoas cujo pai era estrangeiro e cuja mãe perdeu a nacionalidade alemã podem solicitar a nacionalidade, assim como os descendentes de alemães privados de sua nacionalidade durante o regime nazista por terem imigrado.

A segunda, terceira, quarta e, em certos casos a quinta geração, nascidas antes de 1º de janeiro de 2000 e listadas entre os descendentes nesses casos, podem se candidatar à nacionalidade, diz o ministério.

As condições exigidas serão reduzidas “ao mínimo”: será necessário ter “conhecimentos básicos de alemão” e “conhecimentos básicos da ordem legal e social na Alemanha”, segundo o ministério.

Os pedidos de nacionalidade alemã pelos britânicos aumentaram após o Brexit: passaram de 43 em 2015 para 1.506 em 2018, segundo dados do ministério.