Rendimento de títulos americanos de longo prazo indica desconfiança

<I>Papéis longos pagaram menos do que curtos no pregão de ontem, indicando que investidores projetam queda de juros para combater recessão</I>

O mercado de títulos do Tesouro dos Estados Unidos emitiu um aviso preocupante. Muitos investidores esperam que a economia passe por momentos mais difíceis no futuro. Essa sinalização decorre da queda do rendimento dos papéis de longo prazo abaixo dos juros pagos por títulos de curto prazo. O papel de 10 anos pagava 4,343% no pregão de ontem. O de dois anos, 4,347%.

Segundo reportagem do diário americano The Wall Street Journal, essa tendência quase sempre precede fases de desaceleração da economia. Tipicamente, a curva de rendimentos é ascendente, porque o investidor exige ganho maior para compensar o risco a que está sujeito pela espera por mais tempo para receber seu dinheiro a juros fixos. Com períodos extensos, cresce a dificuldade para prever eventos econômicos que afetem o investimento.

Quando detentores de títulos aceitam rendimento menor por papéis de longo prazo, é porque estão apostando que o banco central terá de reduzir os juros básicos da economia para combater crescimento débil.

A inversão, a primeira em cinco anos, pressiona ou elimina a margem de lucro de bancos, fundos de hedge e quaisquer instituições financerias que tomam recursos a taxas de curto prazo e repassam a taxas de longo prazo.

“É um sinal de alerta”, diz Paul Kasriel, economista-chefe da Northern Trust, sediada em Chicago. “Estamos agora em vigilância de recessão”, afirma. “A grande questão é quão dramática [a inversão] vai se tornar”, diz Thomas Girard, da Weiss Peck & Greer Investments, de Nova York.

Inversões precederam todas as últimas seis recessões americanas. Mas também emitiram alarme falso, o mais recente em 1998.