ConocoPhillips negocia aquisição avaliada em no mínimo US$ 30 bi

<I>Caso se concretize, compra da Burlington aproximará faturamento da ConocoPhillips ao da Chevron, a segunda maior petrolífera americana</I>

A petrolífera ConocoPhillips, a terceira maior produtora de gás e petróleo dos Estados Unidos, procura finalizar negociações e anunciar ainda nesta semana a aquisição da Burlington Resources. O negócio, que envolve no mínimo 30 bilhões de dólares, demonstra a aposta das grandes companhias em um cenário de persistente escassez de gás natural e conseqüente alta sustentada das cotações nos próximos anos (leia reportagem sobre a situação brasileira).

O faturamento combinado da Conoco e da Burlington neste ano está estimado em 211 bilhões. A receita da Chevron (a segunda maior do mercado americano) para 2006 deve ser de 217 bilhões de dólares. O diário americano The Wall Street Journal ressalva que as negociações ainda podem fracassar. Como o valor de mercado da Burlington é de 29 bilhões de dólares (80% superior ao vigente há um ano) e recentes negociações asseguram bônus aos acionistas de 10% a 15%, um acordo deve envolver valores superiores a 30 bilhões, explica a reportagem, para obter a adesão dos investidores.

A aquisição é a mais agressiva do setor nos últimos anos, não só pelo valor, mas porque os campos explorados pela Burlington são classificados como não convencionais — o gás natural encontra-se retido em formações rochosas subterrâneas, de difícil acesso. Ainda assim, preços em alta e aprimoramentos tecnológicos transformaram tais reservas nas mais disputadas do mundo. A Burlington Resources é reconhecida como uma das companhias mais bem-sucedidas no desenvolvimento desses campos.

Incluindo a potencial compra da Burlington, o setor de energia terá movimentado neste ano 375 bilhões de dólares em fusões e aquisições em todo o mundo.