EUA, União Européia e mais três países cortarão tarifas sobre chips

Signatários respondem por 70% da produção mundial de chips, semicondutores e multiprocessadores

Os Estados Unidos fecharam um acordo de eliminação das tarifas de importação sobre semicondutores e chips de última geração, usados em telefones celulares e câmeras digitais, por exemplo. Participam do acordo a União Européia, Japão, Coréia do Sul e Taiwan. A queda das tarifas deve vigorar a partir de 1º de janeiro.

O acordo não depende de aprovação do Congresso americano e abrange também multiprocessadores cada vez mais usados em computadores pessoais, assistentes pessoais digitais e outros equipamentos. Companhias sediadas nos Estados Unidos, como a Intel e a Texas Instruments, respondem por mais de 50% do faturamento mundial gerado pelo comércio desses circuitos. Os cinco signatários do acordo detêm 70% da produção mundial do setor. Segundo The Wall Street Journal, Washington espera que o acordo aumente as exportações das companhias americanas.

Além dos benefícios para a indústria de eletroeletrônicos, o acordo também será divulgado pelos americanos como um exemplo das vantagens do livre comércio, num momento em que a Rodada de Doha corre novo risco de fracassar, diante dos impasses nas questões dos subsídios agrícolas. O representante do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, Rob Portman, afirmou que o acordo pode servir de base para a liberalização de outros bens, como produtos químicos e farmacêuticos. Para tanto, o documento será enviado à Organização Mundial do Comércio (OMC).