Secretário do Tesouro americano afirma 'ter fé' em reformas na China

<I>Foco muda da questão cambial para mudanças mais amplas de mercado. Objetivo é o mesmo: reduzir o déficit comercial de US$ 200 bilhões</I>

Em visita à China, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, John Snow, adotou tom conciliatório depois de conversar com dirigentes econômicos do país. A mudança é vista pelo diário americano The Wall Street Journal como surpreendente. Snow declarou que “tem fé” em que a China reforme seu sistema financeiro e está convencido de que o país está claramente preparando o caminho para um ordenamento mais moderno e para uma taxa de câmbio mais flexível.

Os comentários de Snow ocorrem em um momento em que sofre crescente pressão política, especialmente de alguns membros do Congresso americano, para que seja duro com a China, parceiro comercial responsável pelo maior déficit dos Estados Unidos. Suas declarações desmobilizam, por enquanto, as expectativas de que a administração de George W. Bush declare oficialmente a economia chinesa como “manipuladora cambial”, o que poderia abrir caminho para a imposição de medidas protecionistas.

O renovado discurso marca uma nova tática, diz a reportagem, de mudança de foco do tema cambial para uma política de estímulo ao consumo doméstico chinês e reformas de mercado mais ambiciosas. O alvo, de todo modo, continua o mesmo, diz o Wall Street: reduzir o imenso déficit comercial com a China, que será superior a 200 bilhões de dólares em 2005.