Mulheres se vestiam de Obama em festas de Berlusconi

A modelo Marysthelle Polanco, uma das que viviam em Milão às custas de Berlusconi, se vestia como Obama ou como o jogador Ronaldinho Gaúcho, disse testemunha

Milão – A dançarina de boate no centro do “bunga bunga”, julgamento sobre as atividades sexuais do ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, disse a um tribunal na sexta-feira que as convidadas das festas dadas pelo magnata da mídia se vestiam como freiras, enfermeiras e como o presidente dos EUA, Barack Obama.

Karima El Mahroug, mais conhecida pelo seu nome artístico “Ruby a Ladra de Corações”, falou como testemunha em um julgamento em que o caça-talentos Lele Mora, o âncora de televisão Emilio Fede e a ex-showgirl e conselheira regional Nicole Minetti são acusados ​​de induzir e auxiliar a prostituição.

Berlusconi está sendo julgado separadamente sob acusação de pagar por sexo com El Mahroug quando ela era menor de idade e por abusar de seu poder como premiê para libertá-la da prisão por roubo.

A aparição dela como testemunha é, no entanto, um constrangimento para o bilionário de 76 anos, e serve como um lembrete das ameaças legais enfrentadas pelo líder da centro-direita e parceiro-chave da coalizão de governo.

Um veredicto do julgamento é esperado para junho, e uma condenação por fraude fiscal está se movendo para uma apelação final. Berlusconi diz que nunca pagou por sexo, nega qualquer irregularidade e diz que os juízes são politicamente motivados contra ele.

El Mahroug não compareceu como testemunha no julgamento de Berlusconi em dezembro porque ela estava de férias no México. Em seu depoimento nesta sexta-feira, ela desafiou a afirmação de Berlusconi de que os eventos em sua propriedade eram jantares elegantes.

A modelo Marysthelle Polanco, uma das 14 mulheres que tornaram-se famosas depois da descoberta de que viviam num endereço de Milão às custas de Berlusconi, se vestia como Obama ou como o jogador de futebol brasileiro Ronaldinho Gaúcho, disse El Mahroug.

Em uma ocasião Minetti, ex-higienista dental do Berlusconi que foi catapultada para uma carreira no mundo do espetáculo e da política, “se vestiu como uma freira… e, enquanto dançava, tirava a roupa e ficou só com a roupa íntima”, disse ela ao tribunal.