Mudanças no clima ameçam rios Nilo e Limpopo, alerta estudo

Pesquisa aponta que mudanças no clima podem afetar os dois rios africanos e aumentar a pobreza na região

Johannesburgo – As temperaturas globais em elevação e as mudanças nos padrões de chuva podem afetar a vazão dos rios Nilo e Limpopo, na África, alertou esta segunda-feira um grupo de pesquisas especializado em agricultura.

O Grupo Consultivo em Pesquisa Agrícola Internacional, um “think-tank” global, alertou que as mudanças climáticas podem ter efeitos muito grandes em países que compartilham rios, aumentando o risco de conflitos com base na disputa por recursos hídricos, que já são a causa de relações regionais espinhosas.

O estudo demonstrou maior preocupação com a bacia do rio Limpopo, que passa por regiões de Botsuana, África do Sul, Moçambique e Zimbábue, e corta uma região que já sofre com a seca crônica.

As descobertas foram apresentadas durante o Fórum sobre Comida e Água, em Pretória, África do sul.

Segundo as projeções do grupo, até 2050 o clima mais quente e o volume menor de chuvas pode afetar a produção de alimentos e aprofundar a pobreza.

“Precisamos perguntar se as atuais estratégias de desenvolvimento da agricultura no Limpopo, baseadas nos níveis atuais de disponibilidade hídrica, são de fato realistas com relação a um futuro climático que pode trazer novos desafios e oportunidades diversas”, afirmou Simon Cook, cientista que trabalhou no projeto.

“Em algumas partes do Limpopo até mesmo o uso disseminado de inovações como a irrigação por gotejamento pode não ser suficiente para superar os efeitos negativos das mudanças climáticas sobre a disponbilidade d’água”, acrescentou Cook.

No caso do Nilo, os cientistas previram que uma evaporação maior poderá “reduzir o balanço hídrico da parte superior da Bacia do Nilo Azul”.


Com isto, seriam afetadas as negociações regionais sobre a gestão do rio, após anos de tensões originárias dos planos da Etiópia de criar novas represas, afirmaram os cientistas.

“Os novos entendimentos sobre os efeitos das mudanças climáticas nas bacias fluviais podem indicar uma necessidade de rever as hipóteses sobre a disponibilidade hídrica”, afirmou Alain Vidal, diretor do programa de água e alimentos do grupo.

Nos rios ao redor do mundo, o estudo demonstrou que temperaturas globais mais elevadas provocarão uma evaporação maior dos rios.

Mas no âmbito das bacias fluviais, as mudanças poderão ser dramáticas, e fazer variar padrões climáticos de úmido a seco em regiões previamente conhecidas por padrões consistentes.

“Tais mudanças provocarão uma gestão difícil e exigirão um foco muito maior em abordagens adaptativas e projeções climáticas de longo prazo do que foi historicamente necessário”, afirmou Vidal.