Mubarak acredita que história o julgará ‘com justiça’

Ex-presidente egípcio declarou-se convencido de que será julgado com justiça pelas futuras gerações

O ex-presidente egípcio Hosni Mubarak, acusado pela morte de centenas de manifestantes, declarou-se convencido de que será julgado com justiça pelas futuras gerações, em uma entrevista a um jornal local apresentada como a primeira desde sua renúncia, em fevereiro de 2011.

Nestas declarações ao jornal independente Al-Watan, Mubarak também considera que ainda é cedo para julgar seu sucessor, Mohamed Mursi, procedente da Irmandade Muçulmana, organização combatida por Mubarak durante os 30 anos em que passou à frente do país.

“Disse no passado que a História seria testemunha e que julgará, e estou convencido de que as próximas gerações me julgarão de forma justa”, declarou o ex-chefe de Estado, de 85 anos, a um jornalista do Al-Watan que conseguiu falar com ele durante uma audiência de seu processo.

Mubarak foi obrigado a renunciar no dia 11 de fevereiro de 2011 após uma revolta popular. É acusado de cumplicidade na morte de centenas de manifestantes durante esta revolta e de corrupção. Foi condenado à prisão perpétua, mas este veredicto foi anulado por um Tribunal de Cassação. Um novo processo teve início no sábado.