Motorista de caminhão com 39 mortos admite ter auxiliado imigração ilegal

No mês passado, corpos de 31 homens e meninos e de oito mulheres foram encontrados dentro de um caminhão frigorífico perto de Londres

Londres — Um caminhoneiro britânico acusado do homicídio culposo de 39 cidadãos vietnamitas encontrados mortos em um caminhão perto de Londres no mês passado confessou nesta segunda-feira que tramou para auxiliar a imigração ilegal e adquirir propriedade criminosa.

Depondo a um tribunal por videoconferência da prisão de Belmarsh, no leste londrino, o norte-irlandês Maurice Robinson, de 25 anos, não foi indagado sobre como se pronuncia a respeito de 41 outras acusações, incluindo 39 de homicídio culposo.

Não se marcou uma data de julgamento, e Robinson deve voltar à corte em 13 de dezembro.

As vítimas, 31 homens e meninos e oito mulheres, foram encontradas no dia 31 de outubro em uma propriedade industrial de Grays, em Essex, a pouca distância das docas do Rio Tâmisa. A vítima mais velha tinha 44 anos, três tinham menos de 18 e dois meninos tinham 15 anos.

A descoberta dos corpos chamou atenção para o tráfico de pessoas, que transporta pobres da Ásia, do Oriente Médio e da África ao oeste da Europa por rotas perigosas, muitas vezes com o pagamento de somas elevadas a gangues criminosas.

A maioria das vítimas era das províncias de Nghe An e Ha Tinh, no centro-norte do Vietnã, onde as poucas perspectivas de emprego e outros fatores fomentam a imigração.

O procurador William Emlyn Jones disse na audiência desta segunda-feira no tribunal criminal londrino de Old Bailey que o caso provavelmente será grande e complexo.

Robinson admitiu ter conspirado com outros entre 1º de maio de 2018 e 24 de outubro deste ano para cometer o delito de auxiliar a imigração ilegal, além de obter dinheiro que ele sabia ou suspeitava ter origem criminosa.