Morre Antonio Carlos Magalhães, aos 79 anos

Senador estava internado em São Paulo desde junho

O senador Antonio Carlos Magalhães, que completaria 80 anos em 4 de setembro, morreu na manhã desta sexta-feira (20/7), após uma parada cardíaca. Ele estava internado desde junho no Instituto do Coração (InCor) de São Paulo, onde foi internado para tratar de problemas renais e cardíacos.

Nascido em Salvador e formado em medicina pela Universidade Federal da Bahia, ACM, como era conhecido, atuava como senador pelo partido Democratas. Durante sua trajetória política, iniciada já com a presidência do grêmio no curso ginasial e do Diretório Central de Estudantes da faculdade, ACM tornou-se prefeito de Salvador, governador da Bahia, ministro das Comunicações e presidente do Senado.

Foi indicado para a presidência da Eletrobras, em 1975, e para o Conselho de Administração de Itaipu, em 1976. Na Bahia, ajudou a fomentar a industrialização e o turismo, e conseguiu expandir sua influência por todo o estado por meio da eleição de aliados para cargos políticos importantes.

Casado com Arlete Maron de Magalhães, teve quatro filhos: Antonio Carlos Peixoto de Magalhães Júnior, administrador, Teresa Helena Magalhães Mata Pires, assistente social, Luís Eduardo Maron de Magalhães, advogado e político, e Ana Lúcia Maron de Magalhães, advogada. Luís Eduardo e Ana Lúcia Maron, já falecidos. A morte de Luís Eduardo, deputado, por problemas cardíacos em 1998 – aos 43 anos – era uma das maiores tristezas de ACM.