Monja tibetana ateia fogo em si mesma na China

A China, que afirma ter "libertado pacificamente" o Tibete em 1951, controla efetivamente esta região autônoma desde os protestos de 2008

Pequim – Uma monja tibetana ateou fogo em si mesma nesta quinta-feira na província chinesa de Sichuan, informou a agência Nova China, afirmando que se trata do décimo primeiro caso de imolação ou tentativa de imolação de budistas desde março, dos quais sete morreram, na mesma província.

“Qiu Xiang, originária de um mosteiro do distrito de Dawu, na prefeitura autônoma tibetana de Garze (Ganzi em chinês), ateou fogo em seu corpo por volta das 12h50 local (03H50 de Brasília)” em uma encruzilhada, segundo a agência oficial chinesa.

Uma dezena de monges tibetanos já se imolou com fogo neste ano na região de Sichuan (sudoeste), o primeiro deles em março na prefeitura de Aba, na data que marcava o terceiro aniversário das revoltas antichinesas de Lhassa de 2008.

A China, que afirma ter “libertado pacificamente” o Tibete em 1951 e melhorado as condições dos tibetanos, controla efetivamente esta região autônoma e as províncias limítrofes de população tibetana desde as desordens de 2008.