Moldávia e Geórgia planejam firmar acordo com UE este mês

Acordo será assinado mesmo depois de a Rússia fazer advertências a ambos contra a medida

Chisinau/ Tbilis  – Apesar do conflito desencadeado pela aproximação da Ucrânia com a Europa, as ex-repúblicas soviéticas da Moldávia e Geórgia vão assinar um acordo político e comercial com a União Europeia neste mês, mesmo depois de a Rússia fazer advertências a ambos contra a medida.

Os dois pequenos países – a Moldávia tem uma população de pouco mais de 3,5 milhões, e a Geórgia cerca de 4,5 milhões – encaram a assinatura do acordo de associação como um passo crucial em uma eventual adesão ao poderoso bloco comercial da UE.

Mas, como prova o exemplo da Ucrânia, a Rússia vê esse movimento de aproximação com o Ocidente, e para mais longe da esfera de influência de Moscou, como um retrocesso geopolítico que pode ameaçar seus mercados.

Em novembro passado, a Rússia convenceu o líder ucraniano agora deposto de abandonar um pacto idêntico com a UE. Quando os protestos depois provocaram a sua derrubada do, a Rússia reagiu anexando a Crimeia e grupos separatistas armados pró-Rússia surgiram no leste da Ucrânia. Os conflitos na região continuam.

Como a Rússia vai reagir agora – o país esteve em guerra com a Geórgia em 2008 – continua a ser um grande mistério, mas autoridades advertiram sobre “possíveis consequências”.

Com a Moldávia e a Geórgia abrigando seus enclaves separatistas pró-Rússia dentro de suas fronteiras – os quais desejam a união com a Rússia e suspeitam da associação com a UE – ambos os Estados têm motivos válidos para se preocuparem com uma resposta russa à assinatura do acordo em 27 de junho.

“Tenho medo de a Rússia criar problemas na Geórgia antes da assinatura. Precisamos ter muito cuidado neste mês. Os russos fizeram isso muitas vezes antes”, disse Guram Chichinadze, um empresário de 57 anos de idade, enquanto tomava café no centro de Tbilisi.

A Moldávia teme que Moscou imponha exigências de visto para os seus cidadãos que trabalham na Rússia – algo que estrangularia imediatamente uma valiosa fonte de renda em sua economia em dificuldades.

A Rússia pode estender a proibição de importações de vinhos da Moldávia – já em vigor desde setembro do ano passado – para incluir frutas e vegetais, o que poderia afetar outra fonte de renda de exportação do país, que não tm saída par ao mar.