Missão da ONU encontra cidade-fantasma na Síria

"A cidade estava deserta. A maior parte das instituições governamentais, inclusive o escritório dos correios, foram incendiados por dentro", indica comunicado

Nações Unidas – Os observadores da Missão de Supervisão da ONU para a Síria (UNSMIS) entraram nesta quinta-feira na cidade de Hafa e encontraram as ruas desertas, com corpos espalhados e prédios incendiados e saqueados.

“A cidade estava deserta. A maior parte das instituições governamentais, inclusive o escritório dos correios, foram incendiados por dentro”, indica um comunicado da UNSMIS divulgado no prédio das Nações Unidas em Hafa, na província mediterrânea de Latakia.

Os chamados Capacetes Azuis – soldados da ONU – acreditam que ainda havia áreas abaladas por combates. “O número de baixas não está claro por enquanto”.

“A UNSMIS está muito preocupada com a escalada da violência na Síria e pede às partes que abandonem as armas e optem pela via da não violência pelo bem dos sírios, que já sofreram bastante”, indica a missão da ONU.

O comunicado também destaca que, em Hafa, os arquivos foram queimados, as lojas saqueadas e incendiadas, e as casas estavam com as portas abertas e destruídas no interior. “A sede do Partido Baath na cidade tinha sido bombardeada e parecia que ainda era o palco de uma luta intensa”.

Os observadores ressaltam ter encontrado restos de armas, inclusive de grande calibre, além de carros destruídos, tanto civis como das forças de segurança.

Nos últimos dias, Hafa e as aldeias arredores foram palco de duros combates entre as forças governamentais do regime de Damasco e grupos armados opositores.


Os relatos da UNSMIS são divulgados um dia após as autoridades sírias anunciarem a restaurado a segurança e a calma na região de Hafa, após “limpá-la de grupos terroristas”, enquanto os rebeldes alegaram uma retirada tática.

Estes enfrentamentos terminaram com a morte e prisão de um grande número de terroristas, segundo a agência de notícias síria “Sana”, assim como com vítimas do lado do regime.

Segundo a versão oficial, esses grupos armados “aterrorizaram os cidadãos e sabotaram propriedades públicas e privadas”, mas há alguns dias os grupos opositores denunciaram bombardeios incessantes das tropas sírias.

Na quarta-feira, um porta-voz do grupo rebelde Exército Livre Sírio (ELS), Fahad al-Masri, disse à Agência Efe pela internet que, quando as tropas governamentais entraram em Hafa, já haviam encontrado uma cidade-fantasma, pois os habitantes fugiram às montanhas de Jabal al-Akrad.

Após o anúncio, as autoridades sírias pediram à UNSMIS que visite Hafa para avaliar os crimes cometidos, mas, quando os Capacetes Azuis tentaram entrar no local na quarta-feira, uma multidão, aparentemente de moradores, avançou sobre o comboio de observadores e os atacou com pedras e barras de metal.

Quando os observadores se retiraram do local, três de seus veículos receberam tiros, de origem incerta.