Ministro francês não conhecia circular de expulsão de cigano

Em 28 de julho, Nicolas Sarkozy ordenou que, em 3 meses, 300 acampamentos ilegais fossem esvaziados, prioritariamente os de ciganos

Paris – O ministro francês da Imigração, Eric Besson, afirmou nesta segunda-feira que não estava a par de uma circular divulgada em 5 de agosto pelo ministério do Interior sobre o fim dos acampamentos ilegais, “prioritariamente os de ciganos”. “Não conhecia esta circular”, afirmou Besson ao canal France 2.

“Não era destinatário da mesma e, portanto, não tinha motivo para conhecê-la”, completou.

“Em 28 de julho, o presidente da República fixou objetivos precisos para a evacuação dos acampamentos ilegais: 300 acampamentos ou implantações ilegais devem ser esvaziados nos próximos três meses, prioritariamente os de ciganos”, afirma a circular divulgada pelo ministério do Interior que dirige Brice Hortefeux.

Na quinta-feira, Besson negou a existência de um “plano específico contra os ciganos” e insistiu que as expulsões estão dirigidas contra os “estrangeiros em situação irregular”, que devem retornar a seus países, mesmo os Estados da União Europeia (UE).

Romênia e Bulgária integram a UE desde 2007.

Após o discurso pronunciado no fim de julho pelo presidente francês Nicolas Sarkozy em Grenoble, endurecendo a política migratória, dezenas de acampamentos ilegais de ciganos – de origem búlgara ou romena – foram desmantelados pela polícia e mais de mil pessoas foram expulsas do país.

No total, 8.300 ciganos foram expulsos da França desde o início de 2010. A expulsão é acompanhada de uma ajuda de quase 300 euros.

Leia mais notícias sobre a França

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter