Ministro dominicano é preso por envolvimento com Odebrecht

Executivos da empreiteira haviam revelado ante as autoridades dos EUA e do Brasil que pagaram US$ 92 milhões em subornos na República Dominicana

Santo Domingo – Um juiz da República Dominicana ordenou nesta quarta-feira a prisão preventiva de oito suspeitos ligados ao esquema de corrupção da Odebrecht no país.

Um dos alvos é o ministro do Comércio dominicano, Temístocles Montás.

Três envolvidos no esquema não puderam ser enviados à cadeia porque são legisladores em funções e estão protegidos com imunidade parlamentar, enquanto outros dois ex-funcionários do gabinete ministerial foram beneficiados com prisão domiciliar por questões de saúde.

“Esta sentença marca o início do caminho até lograr o fim da impunidade no país”, disse o procurador-geral Jean Alain Rodríguez, em comunicado emitido pouco após a decisão do tribunal.

O juiz da Suprema Corte de Justiça, Francisco Ortega, havia ordenado a detenção de Montás e outras 13 pessoas, entre elas políticos, ex-funcionários e o empresário Ángel Rondón como supostos beneficiários de subornos pagos pela empresa brasileira.

Um dos 14 supostos implicados se encontram fora do país e existe uma ordem de prisão contra ele.

Executivos da Odebrecht haviam revelado ante as autoridades dos Estados Unidos e do Brasil que pagaram US$ 92 milhões em subornos na República Dominicana para fraudar licitações desde 2001.