Mineradores ilegais presos em jazida rejeitam resgate

Os mineiros foram encontrados no domingo, quando uma equipe de emergência que circulava pelos arredores da mina abandonada escutou gritos procedentes do poço

África do Sul – Um número indeterminado de mineradores ilegais resistiram nesta segunda-feira pelo segundo dia consecutivo a serem resgatados de uma mina de ouro abandonada em Benoni, no leste de Johanesburgo, na África do Sul, onde estão presos, para evitar serem detidos pela polícia.

Segundo confirmaram à Agência Efe fontes municipais, o Departamento de Minas sul-africano fez chegar aos trabalhadores clandestinos uma notificação que afirma que o buraco por onde teriam entrado na jazida será selado em 14 dias se não aceitarem serem levados para a superfície.

Por esse estreito buraco foram resgatados entre ontem e hoje um total de 22 mineiros, que após a ação foram detidos e comparecerão nesta semana perante um juiz acusados de atividades de mineração ilegal.

As equipes de resgate, a polícia e os funcionários da prefeitura de Ekurhuleni (onde Benoni está localizado) não sabem precisar por enquanto quantas pessoas permanecem no subsolo.

“O número de pessoas retiradas é de 22 até agora. Existem muitos rumores e há quem fale de 200, 300 e até 400 pessoas sob a terra, mas os fatos são que resgatamos 22 entre ontem e hoje”, disse à Efe Sugan Moodley, porta-voz dos serviços municipais de emergências.

“Sabem que serão detidos e, por isso, não saem. Sair agora é muito fácil, mas não querem sair. Este é o jogo que teremos que jogar agora”, explicou Moodley ao lado do buraco da mina, que será custodiado dia e noite por agentes até que os operários abandonem o local e sejam detidos.

No começo da manhã, outro porta-voz municipal, Rogers Mamaila, descartou que pudesse haver sob terra mais de 200 pessoas, ao assegurar que o número total de mineradores descobertos no domingo no subsolo era de 30.

Fontes policiais explicaram à Efe que as autoridades procuram convencer os mineiros que seguem sob terra que saiam e se entreguem por meio de um dos trabalhadores resgatados, que voltou a descer ao local para falar com seus companheiros.

Os mineiros foram encontrados no domingo, quando uma equipe de emergência que circulava pelos arredores da mina abandonada escutou gritos procedentes do poço.

Situada nas imediações da cidade de Benoni, em uma zona conhecida como Kleinfontein, a mina é propriedade da empresa chinesa Gold One, que comprou os direitos para explorá-la mas não realiza operações.

Segundo fontes da empresa, os mineiros ficaram presos após a queda de um dos túneis que tinham escavado para acessar a mina, possivelmente por causa das fortes chuvas.

Outras versões apontam a que um grupo de ladrões bloquearam a saída da mina para roubar o ouro dos trabalhadores, segundo a imprensa local.