Mineiro chileno que ficou preso por 69 dias incentiva meninos da Tailândia

Mineiro, que viveu drama observado por todo o planeta em 2010, que culminou com resgate espetacular ao final de 69 dias, desejou "muita força" às crianças

“Muita força”, diz Mario Sepúlveda – um dos 33 mineiros chilenos que ficaram 69 dias sob a terra – aos doze meninos e seu técnico de futebol presos em uma caverna da Tailândia.

Sepúlveda revelou que está disposto a viajar à Tailândia para contribuir com sua experiência aos esforços de resgate, em entrevista à AFP no México.

O mineiro, que junto com seus companheiros viveu um drama observado por todo o planeta em 2010, que culminou com um resgate espetacular ao final de 69 dias, desejou “muita força a todas as autoridades e às famílias destes meninos sob a terra”.

“Não tenho dúvidas de que se o governo deste país fizer tudo o que pode (…) este resgate terá sucesso”.

Os 12 meninos e seu treinador, há nove dias em uma caverna inundada na Tailândia, estão medicados e alimentados, mas têm poucas chances de serem resgatados a curto prazo, devido à dificuldade de retirá-los sob a água.

Sepúlveda está decidido a buscar “algum dinheiro” para ir à Tailândia e ajudar no que for possível.

“Vou fazer o que der. Estou tentando com o governo (chileno) para reunir algum dinheiro. Acredito que como país é importante estar lá depois do que passamos” no Chile, disse por telefone à AFP.

Se não obtiver respaldo do governo chileno, Sepúlveda está decidido a buscar apoio privado. “Me encantaria ir (à Tailândia) porque acredito que seria de suma importância apoiar as famílias com palavras, um abraço. Uma palavra de alento é importante”.

Sepúlveda ficou conhecido como “Super Mario” durante o drama dos mineiros chilenos por incentivar seus companheiros nos 69 dias de calvário sob a terra.