Milhares de pessoas são evacuadas por forte erupção de vulcão na Guatemala

Evacuações acontecem de forma preventiva para evitar qualquer desgraça pela erupção do vulcão

Cidade da Guatemala – Por volta de 4 mil pessoas foram evacuadas de vários vilarejos pela forte erupção que continua no Vulcão de Fogo, situado a 50 quilômetros a oeste da capital da Guatemala, que já afeta mais de 76 mil habitantes, informaram nesta segunda-feira as autoridades.

As evacuações acontecem de forma preventiva para evitar qualquer desgraça pela erupção do vulcão, a quinta somente neste ano, segundo a Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred).

De acordo com a Conred, foram evacuadas 3.925 pessoas, 3.419 delas de vilarejos do departamento (província) de Escuintla, onde já foram habilitados três abrigos para os quais foram transferidos 2 mil moradores. Além disso, a erupção já afeta as rotinas de 76.145 pessoas

O Vulcão de Fogo, o mais ativo dos 32 que existem na Guatemala, fica entre os departamentos de Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango e sua erupção mais violenta foi registrada em 3 de junho, quando morreram 190 pessoas e mais de 1,71 milhão foram afetadas.

A maioria das famílias foi transferida em veículos particulares e da Conred para um estádio em Santa Lúcia, no departamento de Escuintla, onde o Ministério da Defesa instalou barracas para abrigar os evacuados.

Até agora foram realizadas evacuações nos vilarejos de El Rodeo, La Reina, Guadalupe, El Zapote e Colônia de Santa Rosa (Escuintla).

As pessoas também tiveram que deixar suas casas nos vilarejos de Sangre de Cristo, no município de Yepocapa (Chimaltenango), e de El Porvenir, Alotenango (Sacatepéquez) e de outras comunidades situadas próximas das encostas do vulcão, que tem 3.763 metros de altitude.

A Conred, no entanto, informou que 300 famílias que residem no vilarejo de Chuchú, em Escuintla, não querem deixar seus lares apesar da convocação das autoridades.

O vulcão gera fluxos piroclásticos e uma coluna de cinzas que alcança os 5.200 metros de altitude, enquanto o material incandescente chega a mil metros sobre a cratera do vulcão, explicou o Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (Insivumeh) da Guatemala.