Milhares de isralenses passam a noite em refúgios antiaéreos perto de Gaza

O Hamas lançou 45 foguetes e projéteis contra Israel: sete foram interceptados e três caíram em áreas povoadas, um perto de uma creche

Jerusalém – Milhares de israelenses nas comunidades próximas à Faixa de Gaza passaram a noite nos refúgios antiaéreos e três projéteis lançados pelo movimento islamita Hamas caíram em áreas povoadas, sem deixar feridos, informaram fontes militares.

“Os civis israelenses passaram outra noite nos refúgios de bombas, isto é, outro elo na rede de terror do Hamas que começou em 30 de março e não acabou até hoje”, declarou o porta-voz militar tenente-coronel Jonathan Conricus a um grupo de jornalistas, entre eles a Agência Efe.

“O Hamas lançou 45 foguetes e projéteis contra Israel, dos quais sete foram interceptados pelo sistema Cúpula de Ferro e, infelizmente, três caíram em áreas povoadas, um perto de uma creche em um kibutz adjacente à zona central de Gaza. Por sorte, não houve nenhum ferido”, disse o porta-voz, que lembrou que é a segunda vez em semanas que um foguete palestino cai perto de um centro infantil.

O militar afirmou que o lançamento de projéteis afetou uma zona na qual residem cerca de 200 mil israelenses, dos que a maioria teve que comparecer a um refúgio.

Em resposta, a Força Aérea israelense atacou 25 alvos dentro de Gaza, destacou Conricus, que precisou que enquanto as milícias “atacam a população civil, o Exército só bombardeia alvos militares”.

Os ataques israelenses deixaram pelo menos três feridos, dois policiais do Hamas e um civil, informou o Ministério de Saúde em Gaza.

O porta-voz afirmou que o Hamas continua operando contra Israel com várias estratégias: primeiro nos túneis para se infiltrar no país que o Exército conseguiu desativar, depois organizando revoltas para penetrar em Israel, ataques às tropas na fronteira e várias tentativas de sabotar a infraestrutura de defesa, a última anteontem na qual um palestino de 24 anos morreu.

“Além disto, o Hamas lançou foguetes contra civis israelenses, felizmente sem deixar vítimas” e a última fórmula foram “as pipas e balões incendiários, que podem parecer um brinquedo, mas são armas destinadas a matar e causar danos, e provocaram grande destruição com incêndios” afirmou.

Só ontem, as pipas lançadas desde Gaza provocaram 20 focos de incêndio, alguns deles perto de zonas povoadas.