Mexicano é condenado a 30 anos por matar agente dos EUA

Cidadão mexicano se declarou culpado por matar um agente de fronteira norte-americano em 2010

Tucson – Um cidadão mexicano que se declarou culpado por matar um agente de fronteira norte-americano em 2010, no Arizona, foi sentenciado na segunda-feira a 30 anos de prisão.

Manuel Osorio-Arellanes, de 37 anos, foi sentenciado durante audiência na Corte Distrital de Tucson, no Arizona, num processo relativo ao tiroteio noturno que resultou na morte do agente Brian Terryl. Osorio-Arellanes já cumpriu 38 meses da pena.

O caso atraiu a atenção internacional por causa da apreensão de dois fuzis AK-47 no local. As armas acabaram sendo vinculadas a uma atrapalhada investigação oficial sobre tráfico de armas, conhecida como “Velozes e Furiosos”.

A mãe e duas irmãs do agente morto falaram durante a audiência, na qual o réu estava com pés e mãos algemados, vestindo macacão laranja de presidiário.

“Manuel, você tirou um herói de nós, mas não pode tirar a honra dele”, disse Kelly Willis, irmã do agente morto. “Você já nos tirou tudo o que eu posso suportar.”