Merkel diz que Europa não pode se apoiar nos EUA e no Reino Unido

"O tempo em que podíamos depender completamente de outros terminou", disse a chanceler alemã neste domingo (28)

A Europa deve cuidar de seu destino “com as próprias mãos” frente a uma aliança ocidental dividida pelo Brexit e a presidência de Donald Trump nos Estados Unidos, afirmou neste domingo (28) a chanceler alemã Angela Merkel.

“O tempo em que podíamos depender completamente de outros terminou. Vivi isso nos últimos dias”, lançou Merkel a uma multidão em um comício eleitoral em Munique, no sul da Alemanha.

“Nós europeus devemos tomar nosso destino em nossas próprias mãos”, acrescentou, apesar de a Alemanha e a União Europeia (UE) continuarem seus esforços para manter boas relações com os Estados Unidos e o Reino Unido.

“Devemos lutar pelo nosso destino”, insistiu a chanceler, um dia depois da cúpula do G7 na cidade siciliana de Taormina, sem acordo entre os Estados Unidos e as demais seis maiores economias do mundo sobre a luta contra as mudanças climáticas.

No sábado, Merkel considerou os resultados deste “seis contra um” como “muito difíceis, para não dizerinsatisfatórios”.

Trump afirmou em um tuite que irá anunciar até a próxima semana se vai manter ou não seu país no Acordo de Paris, alcançado em 2015 para combater o aquecimento global.

Em declarações anteriores, o presidente americano reiterou suas críticas aos aliados da Otan por não respeitarem o compromisso de alocar 2% de seu Produto Interno Bruto (PIB) para a defesa.

Além disso, de acordo com a imprensa, considerou as práticas comerciais da Alemanha como “más, muito más”, durante conversas em Bruxelas, reclamando que a principal economia europeia vende muitos carros para os Estados Unidos.