Menina achada na Grécia é filha de ciganos búlgaros

Bulgária confirmou que os pais de Maria, a menina loira encontrada em um acampamento cigano na Grécia, são um casal búlgaro de etnia cigana

Sófia – O Ministério do Interior da Bulgária confirmou nesta sexta-feira que os pais de Maria, a menina loira encontrada em um acampamento cigano na Grécia, são um casal búlgaro de etnia cigana.

O secretário-geral do Ministério, Svetlozar Lazarov, afirmou que os exames de DNA confirmam a identidade dos pais, que garantiram ter entregue a menina a uma família para a qual trabalharam enquanto viviam na Grécia.

“Ontem foram feitas os testes de DNA de Sashka Ruseva e Atanas Rusev. Os resultados da análise ficaram prontos hoje. Mostram que Sashka Ruseva é a mãe biológica da menina, conhecida como Maria a Loira, e Atanas Rusev é o pai biológico”, explicou Lazarov para a imprensa em Sofia.

O secretário-geral afirmou que a comparação dos dados genéticos confirmam com “99,9%” a relação de parentesco.

Lazarov disse que as autoridades búlgaras estão colaborando com as gregas, das quais receberam um perfil genético da menor, que foi usado para comparar com os dados dos pais.

O secretário-geral explicou que existe a suspeita de que a mãe autorizou em 2009 a venda da menina na Grécia, mas não deu mais detalhes sobre a investigação, que está sendo realizada pelo Ministério Público.

Lazarov contou que a mãe nega que tenha cobrado dinheiro para entregar a menina e garante que a deu para um casal para o qual trabalhava com o pedido de que criassem a criança.

O secretário-geral não revelou onde se encontram os pais de Maria nem comentou se estão presos, como ventilam vários de meios de comunicações locais, que asseguram que os dois foram levados do povoado onde vivem, no centro da Bulgária, par a capital Sofia. 

*Atualizada às 13h20