Medo e delírio na Casa Branca: mais um livro sobre Trump

Jornalista Bob Woodward, um dos responsáveis por investigar o escândalo do Watergate, lança livro sobre o presidente Donald Trump

O medo e o delírio se intensificam nesta terça-feira na Casa Branca. Hoje é lançado o mais novo livro sobre a presidência de Donald Trump, Fear: Trump in the White House (Medo: Donald Trump na Casa Branca, em tradução livre). A obra é escrita pelo renomado jornalista Bob Woodward, um dos repórteres que desvendaram o escândalo conhecido como Watergate, que ajudou a derrubar o presidente Richard Nixon nos anos 70. O autor é tão confiável que sobram relatos do próprio Trump elogiando o trabalho do jornalista.

Woodward, que transcreveu centenas de horas de entrevistas com oficiais do alto escalão e políticos, tenta se manter o mais fiel possível aos fatos, apresentando uma imagem bastante peculiar da Casa Branca: de que a gestão Trump é uma “cidade de loucos”. As fontes do livro descrevem o presidente “agindo como uma criança da quinta série” e como “um idiota”. Woodward relata inclusive a presença de um time, dentro do gabinete presidencial, engajado em marginalizar o presidente, no que o autor chama de “golpe de estado administrativo”, necessário para impedir uma guerra nuclear com a Coreia do Norte, o assassinato do ditador sírio Bashar al-Assad ou mesmo a retirada do país de algum grande acordo comercial internacional.

A questão do conluio é tão séria que foi abordada por um artigo publicado no jornal The New York Times na semana passada, escrito anonimamente por um membro da “resistência interna” ao governo. O assunto varreu os Estados Unidos de tal maneira que o próprio vice-presidente Mike Pence negou publicamente a autoria do texto.

Trump, incapaz de não dar publicidade gratuita ao livro, foi correndo ao Twitter. Na semana passada ele afirmou que “o livro de Woodward já foi refutado e desacreditado pelos generais James Mattis e John Kelly”, respectivamente secretário de Defesa e chefe de gabinete do presidente. Os dois teriam dito alguns dos piores adjetivos a Trump. O presidente afirma que as falas são “fraudes inventadas” e “um golpe no público”. Chega até mesmo a insinuar que Woodward é um oportunista democrata, aproveitando-se da chegada das eleições de meio de mandato, em novembro.

Se a semana passada foi um pequeno inferno para Trump, esta não deve ser diferente, com filas se formando para a venda do mais novo livro sobre o presidente.