May rejeita no Parlamento renunciar ao cargo de primeira-ministra

Perguntada se planeja deixar o cargo para alguém que possa "levar o país para frente com unidade", a primeira-ministra respondeu com um conciso "não"

Londres – A primeira-ministra do Reino Unido, a conservadora Theresa May, rejeitou nesta quinta-feira no Parlamento renunciar ao cargo após as críticas geradas pelo acordo sobre o “Brexit” ao qual chegou com Bruxelas.

Perguntada pelo deputado trabalhista Mike Gapes se planeja deixar o cargo para alguém que possa “levar o país para frente com unidade”, a primeira-ministra respondeu com um conciso “não”.

Um porta-voz oficial de Downing Street, sua residência e escritório oficial em Londres, afirmou aos veículos de imprensa que May espera continuar à frente do Governo quando o Reino Unido deixar a União Europeia em 29 de março.

Essa fonte indicou, além disso, que a política conservadora terá que enfrentar uma eventual moção de confiança se um número suficiente de deputados “tories” decidir iniciar esse mecanismo para tentar forçar sua saída como líder do Partido Conservador.

Caso 48 deputados conservadores apoiem a moção, a formação convocaria uma votação na qual os críticos à gestão da primeira-ministra devem somar mais de 158 votos (a metade dos 316 deputados “tories”) para iniciar um processo de eleições primárias.

Caso essa votação ocorresse e May saísse vencedora, o partido não poderia voltar a desafiar sua liderança em 12 meses. EFE