Marinheiros sequestrados na Nigéria são libertados

Os seis reféns estrangeiros - três ucranianos, dois indianos e um russo - foram libertados ilesos durante a última noite passada e já se encontram fora de perigo

Lagos – Sequestrados no último dia 17 por supostos piratas em frente ao estado litorâneo de Bayelsa, situado na região petrolífera do Delta do Rio Níger na Nigéria, os seis marinheiros estrangeiros foram libertados nesta terça-feira, informou a polícia local.

De acordo com a fonte, os seis reféns – três ucranianos, dois indianos e um russo – foram libertados ilesos durante a última noite passada e já se encontram fora de perigo.

“Os estrangeiros foram libertados em bom estado, sendo que nenhum resgate foi pago para garantir suas liberdades”, confirmou o comissário da polícia local, Kingsley Omire.

No entanto, fontes policiais citadas pela “agência de notícia da Nigéria” (NAN) asseguraram que houve sim o pagamento de resgate – de cerca de US$ 6 mil – ao chefe do grupo que realizou o sequestro.

“O Governo, através de uma negociação, convenceu os sequestradores a libertar suas vítimas. No entanto, o líder dos sequestradores exigiu o pagamento de dinheiro para libertá-los, já que tinham alimentado os estrangeiros durante vários dias. Ele recebeu cerca de US$ 6 mil”, indicou a “NAN”.

Os marinheiros foram sequestrados no último dia 17, quando indivíduos armados abordaram o petroleiro “MV Marinh Tuah 101”, sendo que os sequestradores tinham pedido aos proprietários da embarcação um resgate de US$ 1,3 milhão.

Os sequestros são frequentes no sul da Nigéria. Com cerca de 170 milhões de habitantes integrados em mais de 200 grupos tribais, a Nigéria, o país mais povoado da África, enfrenta inúmeras tensões por suas profundas diferenças políticas, econômicas, religiosas e territoriais.