Marina arremete contra Dilma; Aécio e a velha política

Marina Silva investiu forte contra a presidente e contra Aécio Neves, no primeiro debate transmitido pela televisão

São Paulo – A candidata Marina Silva (PSB) investiu forte contra a presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição pelo PT, e contra o candidato do PSDB, Aécio Neves, no primeiro debate transmitido pela televisão.

“Temos que combater a polarização entre o PT e o PSDB, que já deu o que tinha que dar”, disse Marina no debate, que reuniu os principais candidatos no estúdio da Band.

As últimas pesquisas indicaram que Marina é quem tem mais chances de vencer Dilma em um eventual segundo turno.

Marina, em vez de apostar na “velha polarização da velha política”, se propõe a governar com “os melhores” de cada um dos partidos.

“Há pessoas boas em todos os partidos, mas estão no banco de reservas. Vamos fazer uma nova seleção, pois precisamos unir o Brasil e acabar com essa polarização”, afirmou.

Dilma evitou entrar no jogo sobre a “velha política”, mas defendeu seu governo e lembrou que, durante os protestos que começaram em junho do ano passado, propôs uma reforma política que acabou não sendo aprovada pelo Congresso.

Nesse sentido, Dilma afirmou que sem o Congresso é impossível fazer uma reforma dessa natureza, e sustentou que ela somente poderá se concretizar mediante uma “participação efetiva da sociedade e não pelo simples desejo de um presidente”.

Aécio, por sua vez, rebateu dizendo que desconhece o conceito de “velha” ou “nova política”, já que, em sua opinião, só existem “políticas boas ou ruins”.

No debate participam também outros quatro candidatos, cujas intenções de voto não chegam aos 2%: Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV), Levy Fidélix (PRTB) e Everaldo Pereira (PSC).

Segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo Ibope, Dilma venceria o primeiro turno, em 5 de outubro, com 34%, seguida por Marina, que com 29% relegaria Aécio Neves ao terceiro lugar, com 19%.

Esses resultados forçariam um segundo turno, previsto para 26 de outubro, no qual Marina, com 45% venceria Dilma, que obteria 36%.