Manifestantes curdos e policiais se enfrentam na Turquia

Manifestantes curdos enfrentaram a polícia turca em várias cidades do sudeste do país na madrugada

Diyarbakir – Manifestantes curdos enfrentaram a polícia turca em várias cidades do sudeste do país na madrugada desta quinta-feira, denunciando a negativa do governo de Ancara em ajudar os curdos da Síria diante do avanço jihadista, indicaram fontes oficiais locais.

Apesar do toque de recolher em vigor em seis províncias do sudeste turco, de maioria curda, centenas de manifestantes voltaram a sair às ruas de Diyarbakir, Batman, Van ou Siirt, onde lançaram pedras e projéteis contra os agentes, que responderam com canhões de água e bombas de gás lacrimogêneo.

Incidentes similares ocorreram em outras grandes cidades do país, como Istambul, Ancara ou Mersin, indicou a imprensa turca.

Os distúrbios começaram na noite de segunda-feira, quando o principal partido curdo do país (HDP) convocou manifestações.

Os incidentes foram especialmente violentos na terça-feira, e segundo o último balanço citado nesta quinta-feira pela imprensa local ao menos 22 pessoas morreram. Foram registrados confrontos entre simpatizantes dos rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e partidários de movimentos islamitas.

Os curdos turcos protestam pela rejeição do governo de Ancara em ajudar militarmente a cidade curda síria de Kobane, fronteiriça com a Turquia, que está há vários dias cercada pelos jihadistas do Estado Islâmico.

Atualmente, os rebeldes do PKK estão imersos em um processo de paz com o governo turco. Mas advertiram que a queda de Kobane (Ain al-Arab, em árabe) enterrará este processo, iniciado há dois anos para colocar fim ao conflito aberto desde 1984.