Manifestação na embaixada dos EUA em Londres termina com 22 pessoas detidas

Os detidos, que se manifestavam contra o uso de aviões militares não-tripulados no Paquistão por parte dos Estados Unidos, disseram fazer parte do grupo United Ummah

Londres .- Sob suspeita de pertencer à organização radical ‘Muçulmanos Contra as Cruzadas’, que recentemente foi proibida no Reino Unido, 22 pessoas foram detidas nesta sexta-feira em frente à embaixada dos Estados Unidos em Londres.

Os detidos, que se manifestavam contra o uso de aviões militares não-tripulados no Paquistão por parte dos Estados Unidos, disseram fazer parte do grupo United Ummah.

Um porta-voz da Scotland Yard disse que dois dos detidos estão envolvidos em casos de ‘obstrução e desordens violentas’.

A partir de uma ordem decretada pela ministra britânica de Interior, Theresa May, o grupo radical ‘Muçulmanos Contra as Cruzadas’ está proibido no Reino Unido. A medida foi anunciada no último dia 11 de novembro.

Na ocasião, essa organização radical planejava repetir uma manifestação violenta realizada no último ano passado, que resultou no incêndio da sala de concertos Albert Hall, em Londres.

Segundo o Ministério do Interior britânico, ‘Muçulmanos contra as Cruzadas’ é um grupo que anteriormente utilizou outros nomes, como Al Ghurabaa, The Saved Sect, Al Muhajiroun e Islã4UK, também proibidos.

A organização também foi proscrita em 2006 por glorificar o terrorismo. Desde o último dia 11 de novembro, a pertinência ou o apoio ao grupo é considerado um ato criminoso.