Mandela não queria filhos na administração de seu patrimônio

A informação foi divulgada pelo advogado do ex-líder sul-africano, no momento em que duas filhas dele lutam pelo controle do patrimônio

Johannesburgo – O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, de 94 anos, não queria que seus filhos interferissem na administração de seu patrimônio, afirmou um de seus advogados, no momento em que duas de suas filhas tentam recuperar o controle dos fundos de investimento do herói da luta contra o apartheid.

Makaziwe e Zenani, duas filhas de Mandela, acusam os advogados George Bizos e Bally Chuene e o ministro da Habitação, Tokyo Sexwale, de imposição como administradores do Harmonieux Investment Holdings e do Magnifique Investment Holdings, dois fundos avaliados em 1,7 milhão de dólares criados pelo líder histórico sul-africano.

“Mandela disse claramente a Makaziwe e a Zenani que não queria que interferissem em seus negócios e que os únicos que queria que participassem eram eu, o advogado Bizos, Sexwale e outras pessoas que ele havia nomeado. Mandela queria que Makaziwe e Zenani saíssem”, escreveu o advogado Bally Chuene em um documento entregue à Alta Corte de Johannesburgo, segundo o jornal The Star.

Ele afirma que as duas filhas de Mandela querem assumir o controle do dinheiro do pai e vender suas obras de arte.

Chuene, Bizos e Sexwale pediram ao tribunal que não aceite o pedido das filhas de Mandela, completa o jornal.

Apesar do desejo do herói nacional de não ver seu nome explorado, Zenani Mandela criou uma marca de roupa com a imagem do pai e sua meia-irmã Malaziwe lançou a marca de vinho “House of Mandela”.