Mais de 5 mil refugiados chegam em apenas um dia na Croácia

Este número supera as previsões do próprio governo croata, que ontem calculou que chegariam cerca 4 mil refugiados nos próximos dias

Zagreb – Por volta de 5.500 refugiados chegaram à Croácia desde a quarta-feira, vindos da Sérvia, o que confirma que o fechamento da fronteira húngara está fazendo com que os migrantes utilizam uma nova rota para seguir rumo à Alemanha e outros países da União Europeia, informou nesta quinta-feira a emissora croata “HRT”, que cita fontes da Cruz Vermelha.

Este número supera as previsões do próprio governo croata, que ontem calculou que chegariam cerca 4 mil refugiados nos próximos dias. A nova rota segue por Croácia e Eslovênia, para depois entrar na Áustria pelo sul, e continuar rumo à Alemanha.

“A Croácia pode responder a uma primeira onda de 1.500 pessoas por dia”, disse o ministro do Interior, Ranko Ostojic, que detalhou que, se esse número aumentar, pode ser necessário acionar dispositivos adicionais.

Seu colega de Relações Exteriores, Vesna Pusic, advertiu que o país pode lidar com a chegada de milhares de refugiados, mas não de dezenas de milhares.

A emissora sérvia “RTS” informou que durante a noite chegaram à fronteira croata 40 ônibus e 180 táxis levando refugiados, que descem dos veículos e cruzam a pé a divisa.

Da fronteira, os refugiados são levados em trens e ônibus para centros de acolhida.

O governo da Croácia afirmou ontem que está disposto a estabelecer corredores para permitir que os refugiados atravessem seu território, de forma rápida e organizada, a caminho do norte.

O primeiro-ministro croata, Zoran Milanovic, criticou duramente a política da Hungria em relação aos refugiados dizendo que “os muros que são erguidos não vão impedir ninguém e, além disso, enviam uma mensagem horrorosa e perigosa”.

Por outro lado, o Ministério do Interior da Eslovênia rejeitou a possibilidade dos corredores. O país alpino lembrou que isso significaria o descumprimento da legislação comunitária que estabelece que o Estado-membro encarregado de examinar uma solicitação de asilo é aquele pelo qual os requerentes entram na UE.

Os refugiados chegam à Croácia após cruzarem os territórios de Sérvia e Macedônia, por onde continuam chegando pessoas (ontem foram 2 mil), que antes passaram por Grécia e Turquia, a maioria procedentes de países em conflito como Síria, Iraque e Afeganistão.