Mais de 13.000 pessoas escravizadas no Reino Unido

O número é quatro vezes superior ao de estimativas anteriores

Londres – Mais de 13.000 pessoas podem estar em situação de escravidão no Reino Unido, um número quatro vezes superior ao de estimativas anteriores, indicou neste sábado o ministério do Interior britânico.

Os dados de 2013 incluem mulheres forçadas a se prostituir e gente obrigada a trabalhar em fábricas e no campo, em sua maioria estrangeiros.

“Que não reste dúvidas, a escravidão está se instalando aqui, no Reino Unido”, declarou a ministra do Interior, Theresa May.

“Jovens são estupradas, espancadas, passam de um abusador a outro e são exploradas sexualmente para conseguir dinheiro. Homens vulneráveis são enganados para realizar trabalhos pesados durante horas antes de ser trancados em casas geladas ou em trailers dilapidados”, acrescentou.

“Obrigam as pessoas a trabalhar no campo, em fábricas e em barcos pesqueiros (…) e crianças são exploradas”, afirmou.

“Devemos mandar uma mensagem contundente a todos os traficantes e fornecedores de escravos de que pagarão por seus crimes”.

Os dados chegam num momento em que o primeiro-ministro David Cameron lançou um plano contra a escravidão moderna, com uma nova legislação que deve ser aprovada em 2015.

Os cálculos de outro organismo governamental contabilizavam 2.744 pessoas em situação de escravidão em 2013, mas o número de 13.000 pretende incorporar uma estimativa dos casos ocultos, explicou o assessor cientista principal do ministério, Bernard Silverman.

Ele afirmou que os dados deveriam ser tratados a título indicativo, já que sua análise inclui pressupostos que, embora fossem plausíveis, não são simples de comprovar.