Maduro vota e pede que todos exerçam direito de escolha

O presidente da Venezuela disse que o Legislativo deve lutar contra os contrabandistas de disputas econômicas

São Paulo — O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, exerceu há pouco seu direito ao voto na disputa eleitoral para a nova composição da Assembleia Nacional. O dirigente afirmou que o Legislativo deverá lutar contra os contrabandistas de disputas econômicas e estabelecer uma nova agenda para cooperar com as prioridades do país. Segundo ele, os venezuelanos são “filhos do pilhagem”.

Em comentários feitos após votar, Maduro afirmou que, assim que os políticos eleitos no Parlamento assumirem os cargos, ele convocará os deputados a um conjunto de reuniões de trabalho com o objetivo de definir questões para o desenvolvimento da nação venezuelana.

O dirigente pediu que ninguém fique sem votar e parabenizou as Forças Armadas pelo clima de paz e tranquilidade deste domingo. “Se algo pode ser dito nesse momento é que chegou o dia, chegou a hora. Que ninguém fique sem votar, que ninguém fique em casa”, afirmou o presidente, acompanhado da primeira dama, Cilia Flores, e do vice-presidente, Jorge Arreaza, além de vários políticos do partido.

“Que legislem para o país, para o futuro”, afirmou o presidente, em comentários publicados pela mídia local. Para ele, o novo parlamento não deve trabalhar para uma “oligarquia parasitária”. O presidente do Partido Socialista, Maduro registrou suas escolhas na escola Miguel Antonio Caro, na zona oeste de Caracas.