Maduro diz que Chávez entrará em nova fase do tratamento

“Ele está se estabilizando em seus sinais vitais, funcionamento dos órgãos, está consciente e com cada vez mais força vital para entrar na segunda etapa", afirmou o vice

Brasília – O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse hoje (20) que o presidente Hugo Chávez está saindo da etapa de pós-operatório para entrar em uma nova fase de tratamento, que está em processo de evolução.

Chávez está em Havana, capital de Cuba, desde o dia 11 de dezembro, quando foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um tumor maligno na região pélvica.

“Ele está se estabilizando em seus sinais vitais, funcionamento dos órgãos, está consciente e com cada vez mais força vital para entrar na segunda etapa, que vai ser anunciada oficialmente”, disse Maduro, durante entrevista a um programa da televisão Televen, do setor privado. Ele está no exercício da presidência desde a viagem de Chávez para a cirurgia em Cuba.

Maduro informou que, em sua visita ao chefe de Estado no dia 14 de janeiro, pôde evidenciar que Chávez “encontra-se em seu estado de ânimo de sempre, o da vitória”.

Segundo ele, Chávez está consciente da situação que tem vivido, do que acontece em seu país e disciplinado em seu tratamento.

O vice-presidente lembrou que, em sua última visita ao líder venezuelano, eles discutiram as questões do petróleo, a estabilidade dos preços e das receitas deste ano para cobrir o Orçamento. 


Maduro disse a Chávez que na Venezuela “foi formada uma equipe de trabalho para governar, trabalhar por seu povo e fazer andar todas as missões contidas no programa do país”.

Maduro disse que a direita venezuelana está comprometida com a derrubada do presidente Hugo Chávez, mas não irá cumprir as suas reivindicações de incendiar o país porque a equipe do governo não vai permitir.

O presidente venezuelano não é visto em público desde o começo de dezembro, e a oposição cobra um pronunciamento e imagens recentes de Chávez. O quarto mandato consecutivo do presidente foi iniciado no dia 10 de janeiro, mas Chávez ficou impossibilitado de participar das cerimônias de posse.

*Com informações da Agencia Venezolana de Noticias