Maduro culpa Capriles por mortes em protestos após eleições

Segundo a Procuradoria Geral, pelo menos 7 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas em manifestações em todo o país contra o resultado das eleições

Caracas – O presidente eleito da Venezuela, Nicolás Maduro, também governante encarregado do país, responsabilizou nesta terça-feira o líder opositor Henrique Capriles pelas mortes ocorridas ontem em incidentes no país e disse que ele terá que responder por isso perante a Constituição e a lei.

“(Capriles) tem que responder perante a Constituição, perante a história e perante a lei, porque o senhor é responsável pelos mortos que hoje estamos velando”, disse Maduro durante um ato de governo.

Segundo a Procuradoria Geral, pelo menos 7 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas em manifestações em todo o país contra o resultado das eleições. O líder opositor convocou ontem um grande “panelaço” em protesto pela decisão do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) de proclamar Maduro vencedor sem ter feito uma recontagem de todos os votos.

Maduro afirmou que o que aconteceu era a “crônica de um golpe anunciado”.

“Posso dizer hoje que derrotamos o golpe de Estado, mas eles vão continuar tentando desestabilizar hoje. Declaro derrotado o golpe de Estado com o povo e as Forças Armadas”, declarou Maduro.

“Irresponsáveis, eu os comparei com a época da Alemanha nazista e (…) talvez tenha sido leve, se vocês tivessem tido o poder, teriam feito uma caça às bruxas, assassinado o povo, mas não aconteceu assim, o povo foi sábio”, acrescentou.

Maduro venceu as eleições por 272.865 votos de vantagem sobre Capriles nas eleições de domingo, com apoio de 50,78%, 1,83 ponto percentual a mais que Capriles, que obteve 48,95%.