Madonna pede libertação de ativistas do Greenpeace

"Estas 30 pessoas estão na prisão na Rússia por organizar um protesto pacífico no Ártico. Deixem que suas vozes sejam ouvidas", tuítou a cantora

A cantora americana Madonna é mais uma personalidade internacional a pedir a libertação dos membros do Greenpeace detidos na Rússia por um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico.

“Estas 30 pessoas estão na prisão na Rússia por organizar um protesto pacífico no Ártico. Deixem que suas vozes sejam ouvidas. Vamos levar estas pessoas para casa!”, escreveu a rainha do pop em uma mensagem divulgada pelo Greenpeace no Twitter.

Madonna se pronunciou sobre o tema depois que o ex-Beatle Paul McCartney enviou uma carta na quinta-feira ao presidente russo, Vladimir Putin, na qual afirmava esperar que os ativistas possam passar o Natal em casa.

Na sexta-feira, a atriz francesa Marion Cotillard participou em um ato a favor da libertação dos 30 ativistas.

A chanceler alemã, Angela Merkel, já expressou preocupação com o caso e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, pediu na semana passada um tratamento justo ao grupo conhecido como “Arctic 30”.

Os 30 membros da tripulação do Arctic Sunrise do Greenpeace, incluindo a bióloga brasileira Ana Paula Maciel, foram detidos em setembro após um protesto em uma plataforma de petróleo no Ártico. Na terça-feira passada foram transferidos de Murmansk a São Petersburgo.