Macron pede “transição de duração razoável” na Argélia

Após protestos, o atual presidente da Argélia, que está em seu quarto mandato consecutivo, desistiu de concorrer a presidência

O presidente francês, Emmanuel Macron, saudou, nesta terça-feira (12), no Djibuti, “a decisão” de seu homólogo argelino, Abdelaziz Buteflika, de não se apresentar a um quinto mandato e pediu “uma transição de uma duração razoável” nesse país.

“Acolho com satisfação a decisão do presidente Buteflika, que está firmando uma nova página no desenvolvimento da democracia argelina”, disse o presidente francês em entrevista coletiva com seu colega do Djibuti, Ismail Omar Guelleh.

“Saúdo a dignidade, com que a população, em particular a juventude argelina, expressou suas esperanças, sua vontade de mudança, assim como o profissionalismo das forças de segurança”, disse Macron.

Há duas semanas diante de um desafio sem precedentes em 20 anos de poder, o presidente argelino anunciou na segunda-feira que não buscaria um quinto mandato e que a eleição presidencial, prevista inicialmente para 18 de abril, seria adiada por tempo indeterminado.

Em mensagem à nação divulgada pela agência oficial de notícias APS, Buteflika afirmou que as eleições vão acontecer após uma “conferência nacional” para reformar o sistema político e redigir uma Constituição até o final de 2019.

Macron disse esperar que esta conferência se organize “nas próximas semanas e meses” para que conduza a uma “transição de uma duração razoável”.

“Acredito que seja um sinal de maturidade” e “faremos todo o possível para apoiar a Argélia nesta transição, com amizade e respeito”, completou.