Lugo se reúne com Mujica e pensa visitar Argentina e Brasil

Lugo foi para Montevidéu, na primeira vez que saiu do Paraguai após sua cassação, convidado pela governante coalizão de esquerda Frente Ampla

Montevidéu – Fernando Lugo, que foi destituído da presidência do Paraguai recentemente, disse nesta terça-feira que teve um encontro informal com o presidente do Uruguai, José Mujica, e que em breve quer visitar a Argentina e o Brasil.

Lugo foi para Montevidéu, na primeira vez que saiu do Paraguai após sua cassação, convidado pela governante coalizão de esquerda Frente Ampla e o principal sindicato do país, o PIT-CNT.

”Tive um encontro informal com o presidente Mujica e conversamos sobre o que se passou no Paraguai. Foi um jantar muito agradável”, comentou Lugo para a imprensa, sem dar mais detalhes sobre o encontro que ocorreu ontem.

Também participaram da reunião alguns ministros uruguaios e parlamentares da Frente Guasu, grupo de partidos paraguaios de esquerda que recentemente elegeu Lugo como presidente.

O Uruguai ”sempre foi um país muito solidário com o Paraguai” e aqui ”muitos paraguaios encontraram refúgio durante a ditadura”, afirmou Lugo. Essas demonstrações de solidariedade ”foram fortalecidas após o golpe de Estado parlamentar de junho”, acrescentou.

O ex-presidente disse que sua visita ao Uruguai tem por finalidade ”divulgar o que está ocorrendo” no Paraguai, país que vive ”uma grande recessão econômica”. Lugo denunciou a existência de uma ”perseguição política e ideológica” contra seus antigos colaboradores no governo.

”Foram demitidos mais de 2.000 funcionários, que eram nossos colaboradores, só por pensar diferente, acusados de serem de esquerda”, assegurou.


Além disso, Lugo disse que como presidente da Frente Guasu pensa visitar a Argentina, ”onde a grande coletividade paraguaia está reivindicando nossa presença”, e também o Brasil, embora não tenha dado detalhes sobre a possível data das viagens.

Em relação ao julgamento político feito pelo Senado paraguaio e que culminou com sua destituição, Lugo afirmou que a causa real do processo foi ”nossa forma de fazer política”, baseada nos ”direitos dos cidadãos e não no clientelismo político”.

O ex-presidente, que ficará no Uruguai até amanhã, irá se reunir nesta tarde com a bancada de parlamentares da Frente Ampla. Um dos principais momentos da visita ao Uruguai é um ato público que será realizado na sede do PIT-CNT, chamado de ”Solidariedade com o povo paraguaio”.

O ex-presidente será o principal orador do evento e Lugo deverá explicar aos uruguaios qual é a situação no Paraguai, disse à Agência Efe Juan Castillo, um dos organizadores da visita e que recentemente deixou a coordenação da central sindical para assumir como vice-presidente da Frente Ampla.

Amanhã, Lugo se reunirá com a presidente da Frente Ampla, a senadora Mónica Xavier, e com representantes de todos os partidos que a integram.

Fernando Lugo foi destituído do poder em 22 de junho após o julgamento político no Senado e em seguida substituído pelo seu então vice-presidente, Federico Franco.

A crise causou a suspensão do Paraguai do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que consideram que ocorreu uma ruptura democrática no país.