Lorde britânico é acusado de racismo por comentário sobre premiê irlandês

Kilclooney afirmou no Twitter que o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, de pai indiano, tem uma atitude "tipicamente indiana"

O lorde britânico Kilclooney foi acusado de racismo por afirmar no Twitter que o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, de pai indiano, tem uma atitude “tipicamente indiana”.

Lord Kilclooney, um ex-político unionista, fez o comentário após uma matéria sobre as críticas do Partido Unionista Democrata (DUP) à postura de Varadkar, que, na segunda-feira, visitou a Irlanda do Norte sem a presença de qualquer representante oficial norte-irlandês.

Com frequência, os unionistas norte-irlandeses acusam o governo da Irlanda de arrogância nas negociações do Brexit.

O comentário de Kilclooney foi rejeitado, porém, pelos políticos unionistas, como Mike Nesbitt, ex-líder do Partido Unionistas do Ulster (UUP), que classificou o tuíte de “racista”.

“Não fala em meu nome”, afirmou um outro político do UUP no Parlamento de Belfast, chamando suas atitude de “ridícula”.

Kilclooney, que se recusa a apagar o polêmico tuíte, nega as acusações de racismo e assegura que os indianos são “uma grande etnia” e que milita para que consigam vistos.

Respondendo a um jornalista no Twitter, ele garantiu, porém, que “um indiano não tem a mesma compreensão das relações Norte-Sul que um irlandês”.