Londres permitiu aos EUA espionar cidadãos britânicos

A Agência Nacional de Segurança (NSA) americana armazenou dados eletrônicos pessoais de cidadãos britânicos com a autorização de Londres, segundo documentos

Londres – A Agência Nacional de Segurança (NSA) americana armazenou dados eletrônicos pessoais de cidadãos britânicos com a autorização de Londres, segundo documentos vazados por Edward Snowden e publicados nesta quinta-feira por meios de comunicação britânicos.

As autoridades britânicas deram sua aprovação em 2007 para que os dados de telefones, de internet e e-mails de seus cidadãos fossem retidos e analisados pela NSA, algo que não permitia até então, afirmam o jornal The Guardian e a rede de televisão Channel 4.

Tratam-se de novas revelações dos documentos de Snowden, ex-membro da NSA, sobre a espionagem de sua agência a países amigos, de governantes a cidadãos.

O The Guardian e o Channel 4 citam um documento de maio de 2007 que informa sobre uma mudança de política que abriu caminho para o armazenamento de todos os rastros eletrônicos dos britânicos.

O documento falava de uma “nova política que amplia o uso de dados britânicos puros incidentalmente reunidos para análises” de inteligência.

E detalha de onde esses dados podem vir: “IP (protocolo de internet) e e-mails, números de fax e de celulares”.

O acordo foi feito embora cinco países anglófonos – Estados Unidos, Grã-Bretanha, Austrália, Canadá e Nova Zelândia – tenham supostamente se comprometido a não espionar uns aos outros.

As autoridades britânicas não reagiram até o momento à notícia.