Londres pede fim da tensão entre Hamas e Israel

Em entrevista à "BBC", Hague reiterou, como fez ontem, que a origem da crise atual é o lançamento de foguetes por parte do Hamas ao sul de Israel

Londres – O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, pediu nesta sexta-feira ao Hamas que “acabe com o terrorismo” e a Israel que “reduzir a tensão” para pôr fim ao enfrentamento entre ambos na Faixa de Gaza.

Em entrevista à “BBC”, Hague reiterou, como fez ontem, que a origem da crise atual é o lançamento de foguetes por parte do Hamas ao sul de Israel, ao que o Estado judeu “respondeu”.

O ministro afirmou que “o que poria fim mais rápido a isso seria que o Hamas parasse de lançar foguetes”, apesar de reconhecer que “Israel também tem responsabilidades”.

Em uma conversa telefônica ontem, Hague pediu a seu colega israelense, Avigdor Lieberman, que Israel “faça o possível para reduzir a tensão”, que “respeite a legislação internacional” e que “evite vítimas civis”, segundo explicou.

O primeiro-ministro, David Cameron, fez o mesmo com o chefe do governo israelense, Benjamin Netanyahu.

Em suas declarações à “Radio 4”, Hague advertiu também que uma ofensiva por terra por parte de Israel – com o que ameaça o Estado judeu – poderia levar à perda do apoio internacional, “como ocorreu em conflitos anteriores”.

“Não queremos mais ataques de nenhum lado”, ressaltou Hague.

O titular do Foreign Office disse que tinha falado também com o governo egípcio para que utilize sua influência a fim de negociar um cessar-fogo nos próximos dias.

Por fim, Hague ressaltou a necessidade de retomar o processo de paz na região, para o qual é necessário, na sua opinião, que os palestinos se reconciliem, que o Hamas proponha um acordo ao terrorismo, que Israel aproveite a oportunidade oferecida e que a comunidade internacional, liderada pelos Estados Unidos, apoie as negociações.