Vaticano minimiza rumor sobre possível renúncia do papa

Segundo o porta-voz do Vaticano, a história citada por um bispo italiano não é 'séria'

Cidade do Vaticano – O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, falou nesta terça-feira sobre uma hipotética renúncia do papa Bento XVI, citada por um bispo italiano, e afirmou que não era uma coisa ‘séria’ e que não tinha nada a acrescentar.

‘Se algum dia for aberto seriamente esse capítulo, falaremos. Agora não há nada sério e portanto não tenho nada a dizer’, disse Lombardi perguntado pela imprensa sobre as declarações do prelado aposentado de Ivrea (norte da Itália), Luigi Bettazzi.

Bettazzi, de 89 anos, foi perguntado na segunda-feira no programa radiofônico ‘Un giorno da pecora’, do segundo canal da rádio pública italiana ‘RAI RADIO2’, sobre a preparação de um suposto atentado contra Bento XVI para matá-lo antes do fim do ano, publicado recentemente por um jornal italiano, e disse ‘não acreditar’ nesta possibilidade.

Segundo Bettazzi, se o atentado estivesse tratando de João Paulo II ele ‘entenderia’, mas não contra Bento XVI, ‘um papa tão dócil, religioso’.

‘Não encontro motivos para atentar contra ele. Por isso, quando foi publicada essa notícia o que pensei é que se trata de preparar a eventual renúncia’, disse o bispo. Com relação à pergunta: ‘mas Ratzinger queria renunciar?’, ele responde ‘sim, eu acho que sim’.