Lojas na Champs Elysées saqueadas durante protestos dos Coletes Amarelos

Depois de semanas de declínio, o movimento dos "Coletes Amarelos" conseguiu novamente reunir uma grande manifestação

Um grupo de agitadores invadiu lojas na Avenue Champs Elysees, no coração de Paris, durante o 18º dia de mobilização dos chamados “Coletes Amarelos”, marcado por mais uma onda de violência.

Os vândalos, muitos usando a cor preta e capuzes ou capacetes, também jogaram pedras contra a política, que respondeu com gás lacrimogêneo.

“Profissionais da desordem mascarados causaram desordem ao se infiltrar nos protestos”, denunciou o ministro do Interior, Christophe Castaner.

Depois de semanas de declínio, o movimento dos “Coletes Amarelos” conseguiu novamente reunir uma grande manifestação em Paris, que desde cedo registrou incidentes.

Segundo imagens difundidas durante pelas televisões, algunos manifestantes tentaram atacar um caminhão da polícia enquanto outros erguiam barricadas.

Segundo um balanço divulgado pela polícia nesta manhã, 31 pessoas foram detidas.

Apresentado como um “ultimato” ao presidente Emmanuel Macron, essa nova mobilização do movimento apolítico acontece depois de uma série de debates na França com os quais o governo esperava canalizar a ira dos manifestantes e fazer surgir propostas concretas.

O número de manifestantes diminuiu nas últimas semanas.

Segundo os dados do Ministério do Interior, eram 28.600 manifestantes em toda a França na semana passada, um décimo dos 282.000 que tomaram as ruas em 17 de novembro, no início do movimento.