Líder rebelde negociará com governo sul-sudanês

Ex-vice-presidente do Sudão do Sul afirmou que "está pronto para respeitar imediatamente" o cessar-fogo imposto há quatro dias pelos países da África Oriental

Cartum – O ex-vice-presidente do Sudão do Sul Riak Mashar afirmou nesta terça-feira que “está pronto para respeitar imediatamente” o cessar-fogo imposto há quatro dias pelos países da África Oriental e “pôr fim ao derramamento de sangue”, e se mostrou disposto a negociar com o governo de seu país.

“Fazemos um apelo à Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (Igad) e à União Africana (UA) para que tente conter o governo de Uganda em seus esforços para alimentar o conflito mediante o envio de tropas e aviões de guerra para apoiar (o presidente) Salva Kiir”, disse Mashar em comunicado.

Além disso, ele exigiu a Kiir que liberte “incondicionalmente” 11 presos políticos na capital Juba, pelos quais diz estar “preocupado com sua segurança e estado de saúde”.

O líder rebelde agradeceu à Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (Igad) e à União Africana (UA) por seus esforços de mediação no conflito.

O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, deu ontem um ultimato de 24 horas ao ex-vice-presidente do Sudão do Sul Riak Mashar para que respeite o cessar-fogo.

Por outro lado, novos confrontos ocorreram hoje entre o exército sul-sudanês e os rebeldes leais a Mashar na cidade de Bor, capital do estado de Jonglei, informou à Agência Efe um porta-voz militar, Philip Aguer.

Bor foi tomada pelos rebeldes partidários de Mashar no começo do conflito, mas o exército a recuperou na terça-feira passada, por isso estes novos enfrentamentos representam outra tentativa dos rebeldes de avançar rumo a um controle total da região.

O jovem país enfrenta o maior desafio desde seu nascimento, em julho de 2011, quando obteve independência do Sudão.

Atualizado às 10h43.