Líder da direita italiana quer rede de partidos nacionalistas europeus

"Para vencer nós tivemos que unir a Itália, e agora precisamos unir a Europa", afirmou Matteo Salvini

Pontida, Itália – Matteo Salvini, líder do partido italiano de direta Liga,afirmou neste domingo que pretende expandir o sucesso de seu partido para criar uma associação pan-europeia de partidos nacionalistas.

Em um discurso na encontro anual da Liga, Salvini afirmou que seu partido vai governar a Itália pelos próximos 30 anos, recebendo entusiasmados aplausos de milhares de apoiadores.

“Para vencer nós tivemos que unir a Itália, e agora precisamos unir a Europa”, afirmou. “Estou pensando em uma Liga das Ligas da Europa, unindo todos os movimentos livres e soberanos que querem defender sua população e suas fronteiras”.

Salvini, 45 anos, vice-primeiro ministro e ministro do interior na coalizão que assumiu em primeiro de junho, está no auge, com a Liga comandando cerca de 30 por cento do apoio nas pesquisas de opinião, competindo com seu aliado, o Movimento 5 Estrelas, pelo título de maior partido da Itália.

Desde uma eleição indefinida em março, quando o 5 Estrelas teve 32 por cento dos votos e a Liga, 17 por cento, Salvini tem dominado a agenda política com uma agressiva e popular campanha contra imigração.

Quando Salvini assumiu a liderança em 2013 do movimento então conhecido com Liga Norte, o partido estava abatido por denúncias de corrupção e tinha apenas 5 por cento de apoio.

“O que conseguimos fazer este ano, no ano que vem vamos fazer em nível continental”, afirmou, referindo-se as eleições para o Parlamento Europeu em Maio de 2019.

Em seus esforços para construir uma rede de partidos nacionalistas de direita europeus, Salvini citou Marine Le Pen, da Frente Nacional francesa, o primeiro-ministro húngaro Viktor Orban e o Chanceler austríaco Sebastian Kurz, entre outros.